Português Inglês Espanhol

Os animais como aliados da educação

19 de novembro de 2015

 

A Fundação Julita há mais de 60 anos promove atividades para a comunidade, disponibilizando um espaço verde único na periferia: mais de 40 mil m2, incluindo 16 mil m2 de Mata Atlântica secundária, mais de 5 mil árvores de 283 espécies diferentes e dezenas de animais. Uma das atividades abertas à comunidade é a Fazendinha, que abriga sistemas ecológicos e diversos animais, entre eles vacas, ovelhas, pavões e cavalo. A Fazendinha é aberta de segunda a domingo, das 8h às 17h. Escolas e grupos podem agendar visita monitorada e a comunidade pode visitar o espaço aos fins de semana.

 

Oferecer uma fazenda na periferia é propiciar contato, muitas vezes o único, das pessoas com diversos animais. Essa oportunidade promove reflexão sobre o ser humano no mundo, suas relações com as pessoas, com os outros seres vivos e com a natureza. O resultado deste olhar pedagógico é que muitas crianças e jovens passaram a atuar como miniagentes ambientais e hoje se preocupam e zelam pelo bem-estar dos animais da Fazendinha e da comunidade, agindo com responsabilidade com seus animais de estimação, resgatando outros animais em risco, denunciando maus-tratos e orientando a comunidade sobre bons hábitos nas relações entre os seres. Essa atuação representa uma conquista para a Fundação Julita, pois o desenvolvimento de valores socioambientais compõe a essência do trabalho da Fundação Julita, que acredita no desenvolvimento integral. Para a comunidade, isso representa um avanço ainda maior porque a integração destes valores dentro dos núcleos familiares transforma as relações, promovendo comprometimento e engajamento.

 

 

fazendinha

 

APRENDER NA PRÁTICA

 

Em 2015, muitas escolas da região visitaram a Fazendinha, encontrando neste espaço o lugar perfeito para uma rica vivência para as crianças:

 

” Vir até a Fazendinha traz uma outra visão para as crianças. É muito diferente de só mostrar desenhos. Aqui elas tocam, vêem, cheiram… é uma outra vivência. Pedagogicamente, elas adquirem várias conquistas: aprendem como vivem os animais e suas características. Também exercitam a linguagem, pois eles têm que aprender a falar palavras diferentes. As crianças levarão para onde forem o cuidado e o carinho que vivenciam aqui. Acredito que o mais importante é eles perceberem o bom convívio entre os animais e as pessoas. A gente percebe que os animais aqui são bem tratados, estão robustos, felizes e calmos. Eu não conhecia o espaço e gostei bastante de visitar”, conta a professora Cleide Martins, do CEI Jardim São Luís I.

 

ceijdsaoluisI

 

 

Aproximadamente 100 jovens deficientes do “Caminhado Núcleo de Educação e Ação Social” participaram de uma visita à Fazendinha no ano de 2013. O grupo se emocionou com a vivência e, por isso, registraram o momento em um vídeo: