Português Inglês Espanhol

Fundação Julita inaugura Sede do Centro de Educação Ambiental

15 de maio de 2018
Fundação Julita inaugura Sede do Centro de Educação Ambiental

O espaço irá beneficiar 1.200 pessoas diretamente, além de toda a comunidade do Jardim São Luís e entorno.

Sede do Centro de Educação Ambiental – Foto: Léu Britto

No último dia 25 de abril, a Fundação Julita inaugurou a sede do Centro de Educação Ambiental, que será um espaço para formação e disseminação de práticas permaculturais.

O evento reuniu parceiros e amigos que puderam conhecer o espaço da sede, composto por um auditório com técnicas de bioconstrução, banheiro seco com telhado verde, laboratório e biblioteca ambientais, cozinha experimental de PANCs (Plantas Alimentícias não Convencionais) e mais de 23 tecnologias permaculturais envolvendo água, resíduos, construção e cultivo de alimentos.

Foto: Léu Britto

Todas as tecnologias foram criadas em mutirões com a comunidade e são alternativas de baixo custo às necessidades do território, tais como falta de água (cisterna), falta de saneamento (círculo de bananeiras) e alternativas alimentares (PANCs).

Multiplicação para o benefício da comunidade

A principal intenção é multiplicar o uso dessas tecnologias sociais, como aponta Jânio de Oliveira, Gestor Geral da Fundação Julita.

A Fundação Julita trabalha pela garantia de direitos da população, em um território marcado pela desigualdade, por isso esse momento é um marco no fortalecimento do trabalho coletivo. Essa sede tem energia de mudança, acreditamos e realizamos um sonho que compartilharemos com todos”.

Foto: Léu Britto

O espaço irá proporcionar vivências e conhecimentos sobre a preservação do meio ambiente e sobre tecnologias socioambientais para as crianças, jovens e idosos beneficiados pela Fundação. Ainda haverá cursos e formações para educadores sociais e de escola formal, visitas guiadas com estudantes de escolas públicas e privadas, atividades para estudantes de biologia e para pessoas interessadas em permacultura.

A intenção é que todos possam vivenciar profundamente os princípios da educação ambiental para que, empoderados de conhecimentos, possam disseminar o aprendizado em seus espaços de atuação.

O sonho realizado

Já para Flávia Cremonesi, coordenadora do Centro de Educação Ambiental da Fundação Julita, a construção da sede marca o fortalecimento das práticas ambientais.

A Casa Verde, como chamamos carinhosamente a sede do Centro de Educação Ambiental, foi a primeira coisa sonhada para a Fundação Julita. Há 8 anos, foi criado o Centro de Educação Ambiental e agora a construção da sede, depois de todos esses anos, mostra o fortalecimento e a sedimentação do Centro, sendo que a proposta pedagógica e ecológica está muito mais perenizada na Fundação Julita”, analisa.

Foto: Léu Britto

A Fundação Julita, que contém uma imensa área verde, luta para que esse espaço seja preservado.

Vencemos todas as dificuldades do processo de construção, prevalecendo as afinidades e as boas energias. É uma conquista incrível! Para a Fundação Julita, a sede, entre outras coisas, significa a ocupação dos espaços, um espaço com energia positiva que harmoniza com a natureza, um espaço que beneficiará a comunidade oferecendo acesso a alternativas para os problemas ambientais do território”, finaliza Flávia Cremonesi.

Confira mais fotos da inauguração AQUI.

Uma Fazendinha na Comunidade

O Centro de Educação Ambiental é sediado em um espaço verde privilegiado e único, sobretudo nas áreas urbanas de periferia: são 47 mil m² divididos em áreas construídas para o atendimento da comunidade, fazendinha com diversos animais e um fragmento secundário de Mata Atlântica, que é ponto de descanso e nutrição de muitas aves migratórias.

Foto: Léu Britto

Dentre as competências do Centro, há duas grandes áreas de atuação: a Pedagógica e a Ecológica.

No que confere às práticas pedagógicas, o Centro de Educação Ambiental tem o constante desafio de dialogar com todos os programas da Fundação Julita (Programa Castanheira, Programa Ipê-Amarelo, Programa Paineira e Programa Araucária), visando aproximar os princípios, valores e ética da Permacultura e da Pedagogia da Terra às práticas cotidianas no processo de ensino-aprendizagem de crianças na primeira infância até idosos.

As atividades se dão no terreno das formações dos educadores de todos os programas, dos educandos e de suas famílias e da comunidade beneficiada, diretamente em oficinas e vivências de Educação Ambiental e Permacultura.

Foto: Leú Britto

O Centro tem parceria com o Coletivo Dedo Verde (para a coleta de óleo), com o coletivo PermaPerifa e o coletivo e cooperativa socioambiental Eparreh (Estudos e Práticas em Agroecologia e o Reencantamento Humano).

Para agendar sua visita, conversar sobre parcerias, escreva para: ambiental@fundacaojulita.org.br