Português Inglês Espanhol

4° Minifórum de Educomunicação debate o direito da mulher ao próprio corpo

4 de setembro de 2017

 


O evento pretende dialogar sobre os aspectos psicológicos, sociais e geopolíticos deste tema trazendo fatos do cotidiano para o debate.

No próximo dia 14 de setembro, o Núcleo de Educomunicação da Fundação Julita vai realizar o 4° Minifórum, que questiona se a mulher tem direito ao próprio corpo, passando por temas que variam desde como a mulher é tratada na sociedade até a questão da criminalização do aborto, que afeta principalmente mulheres periféricas.

Para levantar questões e reflexões, o evento terá convidadas especialistas, sendo elas: a psicóloga Danielle Braga, integrante das coletivas Fala Guerreira e Periferia Segue Sangrando e a estudiosa das questões relacionadas à gênero, Sonia Coelho assistente social e especialista em Gestão Hospitalar e Saúde Pública e integrante da SOF –Sempreviva (organização feminista), além de Sidneia Mochnacz, psicóloga e especialista em Gestão Hospitalar e Saúde Pública.

Já a mediação será feita pela cientista social, Anabela Gonçalves, que também atua como articuladora social e educadora.

O evento ainda terá a intervenção artística do grupo A Zona Agbara,que luta pela visibilidade e valorização da produção artística de mulheres negras e gordas, utilizando a criação em dança como principal ferramenta de transgressão e afirmação estética e social.

Núcleo de Educomunicação

Desde 2013, a Fundação Julita promove a oficina Diálogos, inicialmente com jovens acima de 14 anos, com o intuito de fortalecer o protagonismo juvenil e colaborar para a formação de cidadãos críticos e engajados. A partir de 2014, incorporou à oficina atividades práticas e teóricas de Educomunicação, estendo a formação para alunos dos 9 aos 29 anos. A educomunicação trabalha conceitos fundamentais para o desenvolvimento do senso crítico, entendimento dos meios de comunicação e da mídia, além de ser um recurso importante para a produção de textos, imagens e conteúdo midiático. Mais informações estão no nosso o Blog da Fundação Julita